19 de junho de 2011

Presença online: tem que ter "cojones"


Acho que este post está complementando o excelente texto do amigo Wallace Vianna:


O problema das empresas que começam a engatinhar nas nuvens (odiava este termo!), seja com um simples site, Facebook, Twitter, blog, Orkut e tudo mais, é que eles não levam a sério essa "brincadeira".

Já vi exemplos de patrões que colocam o filho (ou o sobrinho) de 15 anos ou a secretária "espancadora de teclados" para atualizar o Twitter ou mesmo construir e manter um site ou perfil no Facebook. Não levam à serio o poder que a web tem, mesmo para pequenos negócios locais.

Em meu dia-a-dia profissional, tenho que lidar com esposas cuidando do marketing e filhos de 16 e 18 anos cuidando da T.I. da empresa da família sem a mínima noção do que significam estes termos. Obviamente, não são nada profissionais...

E ainda tem o "dono" da empresa, que só vive reclamando que a concorrência é desleal, que os negócios vão mau e por isso, não querem pagar mais de "50 conto" para fazer um site ou consertar um velho Pentium II, pois, mais que isso é um absurdo…
"Garaio"! Que vontade de dar uma tapa!
Enquanto "nossas" pequenas e médias empresas tiverem essa cultura de que TI é parte "secundária" (ou mais inferior) do negócio, as multinacionais, S.A.s e grandes empreendimentos vão continuar crescendo e minguando os pequenos porque investem pesado em T.I.

Não acredita? Vide bancos, lojas online "de verdade" ou braços online de grandes lojas físicas e principalmente, um dos agentes de arrecadação de impostos mais eficientes e informatizados do mundo, a Receita Federal do Brasil.

Até as "casas dos baianos" ou as "casas do vídeo", cujo público alvo está na camada menos privilegiada da população, tiveram estratégias das mais impressionantes em termos de vendas online e já estão entre as primeiras na Internet.

Indo mais além, sempre vemos em programas de TV, palestras e na própria web que camelôs e pequenos magazines e serviços também estão se dando bem porque tiveram cujones coragem de investir pesado na mídia, principalmente (mas não somente) quando se quer arrebatar o público jovem.

Vou rogar uma praga tecnofóbica: Pequenos e médios, se toquem! Contratem profissionais, gente competente para fazer sua T.I., seja local ou online, ou vocês estarão fora do mercado em alguns "meses" (não, não são anos)…

3 comentários neste post

Perfeito, você contextualizou bem meu texto, na sua área, de TI!

Deixe-me advinhar... tio André já está prontinho para oferecer os seus serviços? Malandro, heim! &;-D

"Deixe-me advinhar... tio André já está prontinho para oferecer os seus serviços? Malandro, heim!"

Tio Ednei, existe um "limbo", um grande e vasto vazio entre "malandragem" e "profissionalismo" ;-)

Postar um comentário

Atenção comentarista!
  • Todos os comentários serão rigidamente moderados;
  • Identifique-se! Comentários anônimos não são recomendados;
  • Comentários com três ou mais links serão removidos;
  • Comentários escritos em miguxês ou excesso de gírias serão removidos;
  • Comentários escritos com predominância de maiúsculas serão removidos;
  • Por favor, prove que você é coerente, educado e bem informado: conheça o restante do site, saiba quem somos, sobre o que, para quem e como escrevemos antes de comentar futilidades;
  • Respeite as opiniões dos autores e dos outros comentaristas. Seja breve e sem ofensas;
  • Escreva comentários relevantes e que contribuam de alguma forma para o bem da humanidade;
  • Não seja um inútil social. Lembre-se que o mundo não gira ao seu redor.