23 de fevereiro de 2011

Flash fominha

Faz alguns meses que adotei a plataforma da maça estragada mordida como sistema mobile, depois de anos usando os semi-falecidos Palm. Posso dizer, sem sombra de dúvidas, que o iOS, sistema operacional dos dispositivos "i" da Apple (iPhone, iPod Touch e iPad), é extremamente completo, estável, usável e funcional.

Mas tem uma coisa que pode fazer falta no iOS, principalmente para quem acha que vai usar um mobile da mesma forma que usa um desktop. A falta de suporte para animações Flash em páginas de Internet. Em uma decisão "estratégica" a Apple decidiu que Flash e iOS não combinam e não devem conviver no mesmo aparelho.

Essa "incompatibilidade", inclusive, vem sendo usada como parâmetro pela concorrência. Um dos primeiros tópicos que vemos nos anúncios de smartphones com sistema Android, por exemplo, é o suporte á tecnologia de animações da Adobe. Já ví até propagandas dizendo que os aparelhos da Apple não passam vídeos do Youtube. Ledo engano: achas que o Google deixaria essa "falha" passar?
  1. Como se tudo na Internet se resumisse apenas à animações, filminhos e Flash;
  2. Sem considerar que mais de 90% dos que usam Internet não tem a mínima idéia do que é o Flash.
Hoje, estou tendo a oportunidade de testar diversas plataformas mobile, inclusive as que suportam o Flash, e acabei de descobrir porque ele foi renegado nos sistemas iOS: o consumo de recursos.


Flash x HTML 5: quem ganha em desempenho?

Uma simples animação, daquelas presentes nos sites mais populares, consegue ser tão pesada quando um PC desktop rodando um banco de dados Oracle em momento de pico (Nuossa!). A primeira coisa que se nota, ao rodar uma página web com Flash, comparada com outra sem o "embedded" da Adobe é o aquecimento excessivo do portátil e o aumento repentino no consumo da bateria.

Testei dois sistemas: um magnífico Sansung Galaxy Tab e o levíssimo LG GT-540, ambos com o S.O. Android e um medidor de consumo de bateria avançado instalado. Qual foi a surpresa de ver a bateria sendo "exaurida" ao rodar uma animaçãozinha bastante popular.


Pequeno LG sofre com Flash.
O teste mais interessante foi com o Youtube. Um vídeo em HTML 5 rodou de modo satisfatório, mesmo no pequeno GT-540, sem comprometer o medidor da bateria. Já o mesmo vídeo, em Flash, deu arrancos e travamentos em ambos os aparelhos e fez o tal medidor descer muito além da situação anterior.

Parece que o Flash ainda não está preparado para sistemas mobile. Até mesmo alguns netbooks sofrem ao rodar animações mais rebuscadas. Talvez a plataforma animada, mesmo com altos investimentos da Adobe, nunca venha a deslanchar fora dos desktops, se pensarmos que temos um HTML novinho, leve e cheio de recursos de interação nativos, saindo do forno.
Fica a dica para profissionais web que querem se dedicar ao crescente mercado dos ultra portáteis. Se não querem perder essa grande clientela, tá na hora de rever seus conceitos.
Eis aí, uma das provas práticas do porque a Apple não permitir o Flash em seus gadgets. Mas que às vezes, só às vezes, faz falta, isso faz...

2 comentários neste post

amigo,quando você faz esses cometários, você é totalmente imparcial ou você tem uma queda por um certo sistema?

Prezado Unknown (?),

Imparcial? Quem neste mundo é imparcial? Atiras a primeira pedra!!! Kkkkk

Mas, se você realmente tivesse lido o post, lá está claro que fiz os testes práticos nos dois sistemas dos quais, inclusive, sou usuário assíduo.

Ainda é interessante dizer que quase todos nas interwebs da vida falam a mesma coisa sobre o "Flash Fominha", até a própria Adobe, apesar de eu não acreditar e ter testado na prática, antes de escrever o post...

Agora, pensa! Podia ter dormido sem essa ;-)

Postar um comentário

Atenção comentarista!
  • Todos os comentários serão rigidamente moderados;
  • Identifique-se! Comentários anônimos não são recomendados;
  • Comentários com três ou mais links serão removidos;
  • Comentários escritos em miguxês ou excesso de gírias serão removidos;
  • Comentários escritos com predominância de maiúsculas serão removidos;
  • Por favor, prove que você é coerente, educado e bem informado: conheça o restante do site, saiba quem somos, sobre o que, para quem e como escrevemos antes de comentar futilidades;
  • Respeite as opiniões dos autores e dos outros comentaristas. Seja breve e sem ofensas;
  • Escreva comentários relevantes e que contribuam de alguma forma para o bem da humanidade;
  • Não seja um inútil social. Lembre-se que o mundo não gira ao seu redor.