5 de fevereiro de 2010

Flash: prós e contras

Jacob Nielsen colocou o tema de modo claro ao afirmar, décadas atrás que o Flash - coqueluche da época no seu lançamento - era incompatível com o seu meio, a Internet. Os motivos eram vários; alguns persistem até hoje: conteúdos feitos em Flash para internet não necessariamente possuem links sublinhados (que indicam ser vínculos/links de hipertexto) ou indicam os estágios da navegação (links não visitados, visitados, e atuais, por exemplo, como o HTML até hoje se esforça a indicar, dentro de seus limites*).

Hoje, ao contrário do Nielsen reclamava com razão, o Flash já permite que os textos utilizados apareçam no HTML, além da inclusão de palavras-chave que são lidas pelos buscadores de internet. Muitas questões ainda não estão resolvidas do ponto de vista da navegação, como links (em flash) que descrevam páginas - ou telas - já navegadas, atuais ou não visitadas.

Fiz uma tentativa de resolver essa questão de navegação em Flash, e como já vi outros (poucos) sites com essa mesma preocupação, fico feliz de saber que estou no caminho certo:
A questão que sempre repito em aulas de projeto é que a escolha da tecnologia se faz de acordo com seu objetivo. Usar Flash para colocar seu currículo animado na Internet faz sentido se você é animador e não dentista. Por outro lado um animador fazer um site usando somente HTML e gif animada pode não ser a melhor solução, a não ser que se opte por ter presença na Internet através de um blog.

Acredito que a medida que as pessoas que desenvolvem conteúdo para a Internet estudam e começam a refletir sobre sua própria prática profissional novas soluções dentro da tecnologia irão surgir para que o Flash - o JAVA, ADOBE AIR, etc - propiciem o melhor uso do ponto de vista do usuário que usa essas tecnologias para navegar, se informar e interagir com o mundo.

________________________________________
* O HTML indica através de cores se uma página foi ou não visitada, e a página atual. Mas não indica se a página visitada é a página atual, por sí. Algumas estratégias utilizando ou não tecnologias complementares como  CSS procuram resolver estas questões: posso retirar o link da página atual da barra de navegação para indicar a página que estou, ou formatar o link da página atual com uma cor ou estilo diferente via CSS para o mesmo fim.

0 comentários neste post

Postar um comentário

Atenção comentarista!
  • Todos os comentários serão rigidamente moderados;
  • Identifique-se! Comentários anônimos não são recomendados;
  • Comentários com três ou mais links serão removidos;
  • Comentários escritos em miguxês ou excesso de gírias serão removidos;
  • Comentários escritos com predominância de maiúsculas serão removidos;
  • Por favor, prove que você é coerente, educado e bem informado: conheça o restante do site, saiba quem somos, sobre o que, para quem e como escrevemos antes de comentar futilidades;
  • Respeite as opiniões dos autores e dos outros comentaristas. Seja breve e sem ofensas;
  • Escreva comentários relevantes e que contribuam de alguma forma para o bem da humanidade;
  • Não seja um inútil social. Lembre-se que o mundo não gira ao seu redor.