6 de dezembro de 2009

WordPress e a evolução da Matrix

WordPress e a evolução dos bloatwaresQuem me acompanha aqui no CataBits percebeu que sou usuário assíduo do Google Sites, a plataforma de hospedagem de sites do Google. Alias, sou usuário intenso de diversos outros serviços do Google, inclusive para aplicações profissionais.

Mesmo assim, ainda mantenho sites independentes da plataforma "Big G" como é o caso do CataBits e do Siris Games. Até 2007 eu "fazia" esses sites do zero, usando PHP e MySQL como base e o bom e velho HTML como visual. Naquela época eu não tinha muita intimidade e nem mesmo via a utilidade dos CMS.

Mas o tempo foi passando, as conexões, a quantidade e a exigência dos usuários melhorando e os próprios CMS evoluíram bastante. Sem dúvidas, um dos que mais evoluiu foi o WordPress, a plataforma de publicação de blogs que está tão flexível que pode ser usada para muitos outros tipos de site além de "simples" blogs.

Conforme a necessidade foi obrigando, fui me tornando íntimo do WP, a ponto de hoje, fazer um template para ele (quase) do zero, sem muita dificuldade, graças à sua vasta documentação.

Foi o que fiz essa semana com o Siris Games que estava meio "atarracado", além de pesado e complicado. Nele eu usava o WP apenas para edição dos posts e todo o restante do site era em PHP feito na mão. Apesar de estranho, isso me serviu de aprendizado, principalmente no que se refere às bases de dados do WordPress em MySQL.

Agora o Siris passa a usar completamente a plataforma, não só para publicação como também para administração de plugins, um grande trunfo do WP e também na própria publicação do conteúdo do site.

Blibliotecas JavaScript do WordPress
Blibliotecas JavaScript do WordPress.
Mas todo esse "poder" e evolução do WordPress tem um custo: a aplicação está cada vez maior... Se em seus primórdios o download do WordPress compactado do site oficial tinha entre 400 a 700 KiB, hoje precisamos baixar mais de 2,5 GiB. Isso compactado, pois ao inflar, ele atinge quase 8 MiB de tamanho!

Por sorte, esse "peso" todo não afeta muito os visitantes do site cujo tamanho depende somente do tema que é carregado, já que o núcleo da publicação roda no servidor. Mas quem precisa acessar a parte administrativa do WP sofre com peso da coisa. Só de bibliotecas JavaScript que ele carrega, são quase 30, fora inúmeras imagens, funções, e pequenas aplicações que vem junto.

Mesmo usando as capacidades do Google Gears para acelerar o acesso - e como acelera - a administração do WordPress continua pesadona.

Mas é interessante observar que não há funções inúteis na interface, como costuma acontecer com outras aplicações. Muitas são ferramentas para facilitar a vida do usuário leigo, fazendo com que não haja necessidade de mexer com programação para usar o CMS.

É o preço que se paga pela evolução das aplicações, principalmente as mais flexíveis como o WordPress. Conforme novas funções vão sendo acrescentadas, as antigas vão sendo mantidas, velhos resquícios de códigos ficam perdidos no sistema até que a coisa vira uma verdadeira Matrix, super poderosa, mas cheia de brechas, buracos e Déjà vu's perigosos. "- Keanu Neo Reeves que o diga!"

Lembram do bloatware da Matrix? Nem oráculo deu jeito!
O problema não é restrito ao WordPress. O phpBB, por exemplo, passou por uma crise de identidade quando começou a inchar demasiadamente. A crise foi tão séria que fez com que diversos desenvolvedores saíssem do projeto, dando origem a outras soluções de CMS para fóruns bem mais leves e versáteis que o velho sistema de fóruns.

Cá entre nós, talvez o bloatware WordPress esteja precisando passar por uma reformulada profunda, como aconteceu com o phpBB, principalmente no caso do excesso de bibliotecas. Será que precisamos de todas elas para executar o WordPress? Talvez uma segunda versão, mais leve como um WPLight, com menos recursos ou mais voltado para usuários mais avançados?

Quem sabe...

1 comentários neste post

Comentário de
Anônimo Em 26 de janeiro de 2013 15:39.

Estou trabalhando com CMS, percebo que eles são como "roupa" ou "comida pronta": é feito para ser prático - comprou usou. Mas o WP permite que se faça correções para deixá-lo mais leve (pode-se apagar tabelas vazias no BD, reunir JS e CSS espalhados, etc) se o dono da instalação tiver tempo e conhecimento em MySQL, PHP, JS e CSS para fazer as alterações.
Como citou, existem outros CMS novos mais simples e enxutos, mas talvez nâo tão desenvolvidos na parte de segurança, por terem poucas pessoas trabalhando neles.

Postar um comentário

Atenção comentarista!
  • Todos os comentários serão rigidamente moderados;
  • Identifique-se! Comentários anônimos não são recomendados;
  • Comentários com três ou mais links serão removidos;
  • Comentários escritos em miguxês ou excesso de gírias serão removidos;
  • Comentários escritos com predominância de maiúsculas serão removidos;
  • Por favor, prove que você é coerente, educado e bem informado: conheça o restante do site, saiba quem somos, sobre o que, para quem e como escrevemos antes de comentar futilidades;
  • Respeite as opiniões dos autores e dos outros comentaristas. Seja breve e sem ofensas;
  • Escreva comentários relevantes e que contribuam de alguma forma para o bem da humanidade;
  • Não seja um inútil social. Lembre-se que o mundo não gira ao seu redor.