20 de fevereiro de 2009

Notícias padronizadas na Web

Os formatos de divulgação de notícias RSS e Atom não são novos. Já existem a algum tempo na web, mas só agora estão sendo padronizados e se popularizando entre os usuários da Web.

Imagine que você precisa estar sempre por dentro das informações e notícias mais atualizadas; seja por causa da profissão, por “vício” ou mesmo porque gosta de saber das coisas. Sabemos que a Internet é o melhor veículo para isso, afinal, que outra mídia de massa permite uma atualização das informações de qualquer parte do mundo, praticamente em tempo real?

Há um tempo atrás, a melhor forma de se manter atualizado na Internet era acessando, um por um, os sites de notícias e lendo com cuidado aquele monte de chamadas espalhadas pelo design da home page, com aqueles GIFs animados, cores berrantes e propagandas atrapalhando, quando não, tínhamos que ir na “busca” do mesmo site, que nunca funcionava bem, e procurar tudo o que foi postado naquela data… Qualquer favorito que se preze sempre foi uma bagunça, imagina o tamanho dos nossos “Favoritos” só para ler notícias?

Eis que chegam o RSS e o Atom, formatos de divulgação de notícias, informações e atualizações baseados no padrão XML que permitem que, de um único local (programa ou página web) possamos saber as novidades de vários sites ao mesmo tempo, através de resumos das notícias. Basta então um clique na notícia de nosso interesse para sermos levados à página no “site fonte” onde podemos ler a notícia completa.


O Quick RSS é um bom exemplo de Agregador de Feeds.

A revolução do XML

Um dos segredos dos feeds RSS e Atom está no XML, uma linguagem de marcações, parecida com o HTML usado na Web, armazenado na forma de um arquivo texto plano, como os .TXT, que pode ser facilmente compreendido e interpretado por qualquer tipo de aplicativo e até mesmo por nós, seres humanos “comuns”.

Que fique claro que está não é, nem de longe a única aplicação do XML. Existem até mesmo modernos sistemas de arquivos controlados via XML e sua lista de contatos do MSN é outro exemplo de uso deste poderoso recurso. Apesar de parecido com o HTML, o XML não é voltado para design. Sua função é armazenar informações dos mais diversos tipos em um formato padronizado e universal, e serve para Internet e para qualquer outro tipo de aplicação.

Para vermos a simplicidade com que o XML pode ser interpretado, veja o exemplo abaixo. Ele é um fragmento de uma agenda telefônica de um celular de marca famosa. Observe atentamente e veja se a forma com que os dados foram armazenados entre marcas (expressões entre os sinais “<” e “>”). Com exceção da primeira linha, não faz bastante sentido?
<?xml version=?1.0? encoding=?UTF-8??>
<agenda>
    <contato>
        <sobrenome>Bom de Bola</sobrenome>
        <nome>Geremias</nome>
        <telefone>2345-6789</telefone>
        <celular>9876-5432</celular>
    </contato>
    <contato>
        <sobrenome>Pinto da Silva</sobrenome>
        <nome>Dilermano</nome>
        <telefone>2233-4455</telefone>
        <celular>9988-7766</celular>
    </contato>
    <contato>
        <sobrenome>Setembrino</sobrenome>
        <nome>Eustáquio</nome>
        <telefone>2323-4545</telefone>
        <celular>8989-6767</celular>
    </contato>
</agenda>
Os formatos RSS e Atom seguem esta mesma padronização do XML, só que as marcações são sempre as mesmas, padronizadas de acordo com cada um dos dois formados, de forma a serem interpretadas por um aplicativo leitor ou agregador. Veja um exemplo abaixo:
<?xml version=“1.0“ encoding=“UTF-8“?>
<channel>
    <title>Últimas notícias da Desenholândia</title>
    <description>Últimas novidades sobre o mundo dos desenhos animados</description>
    <url>http://www.saite.com.br</url>
    <language>pt-br</language>
    <item>
        <title>Bob esponja processado por patente</title>
        <description>O funcionário do Siri Cascudo, uma famosa lanchonete da Fenda do Biquini foi acusado de fabricar siriburgueres sem autorização do proprietário. o Sr. Sirigueijo...</description>
        <pubDate>Tue, 31 Oct 2006 15:18:23 -0300</pubDate>
        <link>http://www.saite.com.br/Bob_esponja</link>
    </item>
    <item>
        <title>Chaves é plagiado por estudantes</title>
        <description>Ontem, durante uma prova de química, vários estudantes de uma escola da Zona Sul foram expulsos da sala porque estavam imitando o Chaves. Segundo relatos, eles babavam e falavam coisas inúteis...</description>
        <pubDate>Thu, 26 Oct 2006 09:57:49 -0300</pubDate>
        <link>http://www.saite.com.br/Chaves_e_plageado</link>
    </item>
</channel>


Feed Atom visualizado no Mozilla Firefox.

Para alguém com um pouco de conhecimento em linguagens para Web como PHP ou ASP, por exemplo, fica fácil gerar um arquivo texto formatado em XML RSS/Atom à partir de um banco de dados. Até mesmo para quem tem sites, mas nenhum conhecimento de programação, existem aplicativos que formatam e criam o XML RSS/Atom automaticamente.

Como ler RSS e Atom

Vários sites na Internet, inclusive blogs, fotologs, webmails e outros serviços para usuários em geral disponibilizam seu conteúdo em RSS e/ou Atom chamados de “Feeds” (alimentadores). Bons exemplos são o Blogger, o álbum de fotos Google PicasaWeb e o site de notícias IDG Now!.

Para acessá-los necessitamos de um agregador, nome dado ao leitor de arquivos de notícias. Vários agregadores gratuitos podem ser encontrados em sites de downloads, mas o problema é que, normalmente, temos que instalá-los para usar.

As versões mais modernas dos navegadores Mozilla Firefox, Opera e Internet Explorer também incluem um agregador de Feeds. Mas a melhor opção atualmente é usar sites Web 2.0. Um bom exemplo é o Google Reader que permite o acesso às notícias mais recentes sem a necessidade de instalar programas em cada computador que usamos. As páginas iniciais personalizadas do Hotmail, Google, Yahoo entre outros também permitem incluir seus próprios Feeds.

O próximo passo é “assinar” um Feed. Calma! Nada de entrar com dados pessoais ou pagar por alguma coisa. “Assinar” na linguagem dos Feeds significa incluir os links dos arquivos XML dos Feeds dos sites no seu agregador. Para isso, temos que descobrir o link, copiá-lo e colá-lo em nosso leitor.

Descobrir o link correto é fácil, normalmente temos que encontrar o ícone laranja com um RSS ou com o símbolo do Feed e clicar nele. Alguns sites maiores podem possuir mais de um Feed, e podemos escolher sobre que assuntos queremos ficar atualizados. Para exemplificar, veja os links dos diversos Feeds do Catabits.


Localizando links de Feeds.

Usando o Google Reader

O Google Reader é meu leitor de notícias favorito, pela facilidade de configurar e usar, e principalmente pela disponibilidade, já que posso ter acesso às minhas notícias mais recentes de qualquer computador conectado à Internet e até do Palm e do celular.

Para usar este serviço você precisa ter uma conta no Orkut, Gmail ou qualquer outro serviço do Google. Então, acesse o site http://www.google.com/reader e logue-se com os mesmos dados (usuário e senha) dos serviços citados. Inicialmente (e opcionalmente), você assistirá a um vídeo onde um dos funcionários do Google descreve alguns recursos do Google Reader.

Agora, é hora de incluir seus Feeds: para isso, acesse o seu site preferido e localize um link ou um dos ícones do Feed ( ou ) e clique nele. Alguns sites têm apenas um link apontando para a página de Feeds como é o caso do PicasaWeb que tem um link RSS na parte inferior da página. Quando localizar o link do Feed clique nele ou copie e cole na barra de endereços para que o navegador o exiba seu conteúdo. Alguns navegadores podem exibir o código fonte do XML, já outros, como o Firefox 2.0 e o IE7 exibem o conteúdo bem formatado.

No Firefox aparecerá um ícone de Feed ao lado do link do site, na barra de endereço. Clicando neste ícone, o Feed poderá ser adicionado automaticamente na barra de favoritos e seu conteúdo será exibido na tela. No IE 7 o ícone aparece na barra de status e o procedimento é praticamente o mesmo.


Ícone de site com suporte à Feeds.

Uma dica: a maioria dos links de Feeds aponta para um arquivo XML, como é o caso do Blogger. Por exemplo http://blogdosiris.blogspot.com/rss.xml é o Feed do Blog do Siris. Mas lembre-se que isso não é uma regra. No Siris Games por exemplo, uso um script em PHP para manter o Feed atualizado em tempo real. Isso faz com que o link seja diferente como, por exemplo, http://feeds.feedburner.com/sirisgames_ultimosposts que é o feed do Siris Games.

Com um pouco de pesquisa e prática, fica fácil achar o que queremos. Sempre digo aos meus alunos: “se fosse para achar as fotos proibidas daquela atriz famosa ou aquele crack para o game lançado recentemente, você acharia rapidinho, mas como é alguma coisa útil, tudo é difícil…”.

Incluindo e lendo as notícias

De posse do link do Feed do seu site favorito, siga esses passos:
  • Abra a página inicial do Google Reader, obviamente já logado;
  • Clique no link Add subscription, cole o endereço do Feed no campo que aparece;
  • Clique no botão Add e pronto!
Sua inscrição foi feita e um link aparecerá na sua lista “All subscriptions:”. O número que aparece entre parênteses após o nome do site é a quantidade de notícias ainda não lidas. Siga os mesmos passos acima para incluir novos Feeds.


Lendo Feeds no Google Reader.

Para ler as notícias
  • Clique no nome do site para ver as chamadas para as notícias do mesmo;
  • Clique título de uma notícia para ver a versão completa no site de origem.
Na parte superior direita da listagem existem três abas:
  • “Feed setings” permite fazer algumas configurações (quando disponível) ou remover sua assinatura;
  • “Expanded view” mostra as notícias de forma expandida, exibindo a introdução das mesmas e várias ferramentas úteis;
  • “List view” mostra apenas os títulos, os primeiros caracteres da chamada e as datas de publicação de cada notícia;
Em qualquer modo, clicando no link você será direcionado à página da notícia no site que a publicou.

Existem muitos outros recursos a serem explorados no Google Reader como exportar suas notícias favoritas, montar um Feed com elas, criar links para readers de outros usuários, etc.

Quem tiver dúvidas, dicas ou contribuições, estamos a disposição…

0 comentários neste post

Postar um comentário

Atenção comentarista!
  • Todos os comentários serão rigidamente moderados;
  • Identifique-se! Comentários anônimos não são recomendados;
  • Comentários com três ou mais links serão removidos;
  • Comentários escritos em miguxês ou excesso de gírias serão removidos;
  • Comentários escritos com predominância de maiúsculas serão removidos;
  • Por favor, prove que você é coerente, educado e bem informado: conheça o restante do site, saiba quem somos, sobre o que, para quem e como escrevemos antes de comentar futilidades;
  • Respeite as opiniões dos autores e dos outros comentaristas. Seja breve e sem ofensas;
  • Escreva comentários relevantes e que contribuam de alguma forma para o bem da humanidade;
  • Não seja um inútil social. Lembre-se que o mundo não gira ao seu redor.