27 de abril de 2008

Virtualize-se!

Virtualize-se!Recentemente um amigo me ligou para tirar algumas dúvidas sobre particionamento do HD para instalar Linux. Como ele já tem experiência com informática, achei que ele "sabia o que estava fazendo", então tentei ajudá-lo no que podia...

Mais, duas ligações depois as dúvidas persistiam... Duas? Nossa! Tive que questioná-lo sobre o que exatamente ele queria fazer, já que uma simples instalação do Linux estava tão complexa assim!

Ele me responde que precisava particionar o HD para colocar um Linux RedHat que ele tinha desde o século passado porque ele queria abandonar o Windows que, pelas palavras dele " - É uma porcaria!". Não vou analisar a afirmação dele sobre o Windows neste momento, mas quem me conhece bem já sabe minha resposta...

"Nossa! Porque você vai instalar esse Linux tão velho? Não seria melhor usar um mais recente e fácil como o Ubuntu?" Foi minha primeira sugestão. Segundo ele, o RedHat dele não estava reconhecendo partições NTFS. Na verdade, depois de alguns segundos descobrimos que o que o Linux não reconhecia era o HD SATA.

"- Qual é a configuração do seu PC? Qual é a quantidade de memória RAM?"

Questionei mais uma vez e descobri que o cara tem um processador dual core com 1 GByte de RAM.

"- Nossa! Tudo isso? Já pensou em usar uma máquina virtual?"

Foi minha segunda opinião...

"- Máquina virtual? Isso deve ser complicado as pampas, vai detonar meu hardware, vai acabar com meu Windows, meu PC vai ficar lento..."

Nossa! Quanto medo do desconhecido ainda mais por parte de um "fera" da informática!

Expliquei a ele então que uma máquina virtual (vm de virtual machine para os íntimos) pode ser conseguida simplesmente instalando um software no estilo "Avançar... Avançar... Finalizar" e que criar uma vm é mais fácil do que editar uma fotografia no "Photoshop CS42 XYZ HMM 6.434987.000009 (e mais um monte de letras, números e símbolos indescritíveis)" mais moderno que ele costuma usar!

"- Fala sério! Tem certeza?"

Que tristeza, e ele nem confia em mim como técnico, suporte e amigo!

A realidade é que qualquer processador moderno pode tranquilamente rodar dois ou até mais sistemas operacionais ao mesmo tempo usando a virtualização, ainda mais os modernos dual core que já tem suporte a este recurso "na alma". O único complicador é a memória RAM, mas com os preços por megabyte caindo a cada dia, colocar mais um "pente" de memória no PC não é problema. Uma máquina com 512 MB de RAM pode tranqüilamente rodar um Linux como o Ubuntu em um ambiente virtualizado sobre Windows XP, desde que não rodemos aplicações pesadas em nenhum dos dois. Claro que, games recém lançados, nem pensar!

Nada de particionamentos, nada de perdas do sistema, nada de travamentos, nada! Para o sistema host, ou seja, o principal da máquina, a vm é apenas um software rodando como se fosse o tal "Corel Shop Paint Super Pro SE 23.956 HM2...", e se bobear, consumindo menos recursos do que este software!

Não vou entrar em detalhes técnicos sobre o uso das máquinas virtuais, deixo isso para futuros posts se vocês quiserem, mas ficam algumas recomendações de softwares para virtualização que uso no Windows:

O primeiro é o VirtualBox, um software gratuito de excelente qualidade, pequeno, fácil de instalar e muito fácil de usar. Além de estar em português, suporta praticamente qualquer Windows ou Linux na vm e você pode criar quantas quiser para usar cada uma conforme sua necessidade.

O VirtualBox é excelente para iniciantes na virtualização e tem um desempenho muito bom. Só não gosto dele quando há a necessidade de configurações de rede mais avançadas ou quando precisamos de algo mais profissional, para atender um cliente corporativo, por exemplo.

O VirtualBox foi recentemente adquirido pela Sun Microsystems e a comunidade está um pouco apreensiva sobre o futuro deste excelente software.

O segundo e o melhor em minha opinião é o VMWare. Um dos sistemas de virtualização mais antigos e poderosos do mercado e disponível em várias versões e para vários sistemas host. Dentre as versões temos:

VMWare Server - Gratuito e excelente para executar várias vm's ao mesmo tempo, mas tem um gerenciamento mais complexo, exigindo um pouco mais de conhecimento, sendo recomendado para sistemas servidores.

VMWare Workstation - É o supra-sumo das vm's! É muito poderoso e permite configurações muito avançadas, sendo excelente para desktops. É possível criar redes entre as vm's e a máquina real, usando apenas um PC. Imagine cada pessoa da família ter seu próprio sistema operacional e acessando a rede por um servidor, tudo em um mesmo PC?!

O problema do VMWare Workstation está no preço: US$189.00 não é nada barato para a maioria dos usuários comuns, mas é bem acessível para profissionais e empresas. Você pode baixar uma versão de testes do site oficial, criar sua máquina virtual e depois mantê-la salva no seu HD para executá-la com o VMWare Player.

VMWare Player - Como o nome diz, é apenas um player, não cria vm's, apenas executa as que já existem. É gratuito, então você pode usar o VMWare Workstation trial para criar a máquina e depois continuar usando-a com o VMWare Player. Além disso, existe um repositório acessível pelo site do VMWare que contém dezenas de distribuições Linux e outros S.O.s em vm's já prontas, que podem ser baixadas e executadas com o VMWare Player, sem a necessidade de instalação.

Os sites para ponto de partida estão abaixo:
Como já sei que vão perguntar:

Sim! Pode-se instalar e rodar qualquer versão do Windows em uma vm, independente do sistema host. Podemos rodar, por exemplo, um Windows Vista virtualizado em uma máquina com o sistema Linux como host.

O problema é que a vm "é uma máquina", então, é necessário ter a devida licença para instalar o Windows na vm, assim como em uma máquina "real". A Microsoft chegou a disponibilizar gratuitamente uma versão do XP exclusiva para as vm's dela, mas era muito limitado e não sei se ainda existe.

Ouvi falar que as versões corporativas do Vista permitem a instalação em mais de um PC, desde que apenas um seja real. Não sei a quantidade de vm's que podem ser usadas, se é que isso é verdade. Quem souber detalhes, comenta!

Faz algum tempo que mantenho um site com artigos mais tácnicos sobre o assunto, que pode ser lido aqui.

Quem se interessou pelo assunto, deixa uns comentários com dicas, sugestões, etc. Quem sabe volto a falar do assunto!

0 comentários neste post

Postar um comentário

Atenção comentarista!
  • Todos os comentários serão rigidamente moderados;
  • Identifique-se! Comentários anônimos não são recomendados;
  • Comentários com três ou mais links serão removidos;
  • Comentários escritos em miguxês ou excesso de gírias serão removidos;
  • Comentários escritos com predominância de maiúsculas serão removidos;
  • Por favor, prove que você é coerente, educado e bem informado: conheça o restante do site, saiba quem somos, sobre o que, para quem e como escrevemos antes de comentar futilidades;
  • Respeite as opiniões dos autores e dos outros comentaristas. Seja breve e sem ofensas;
  • Escreva comentários relevantes e que contribuam de alguma forma para o bem da humanidade;
  • Não seja um inútil social. Lembre-se que o mundo não gira ao seu redor.