30 de novembro de 2007

Reflexões 2

A TV digital impõe diversas novas situações: equipamento mais caro para o expectador assistir, maiores custos na produção dos programas, uma vez que imperfeições cenográficas são perceptíveis neste novo modelo, etc. Agora a questão que quero colocar é: A TV analógica vai desaparecer como o disco de vinil? Como fica o usuário “comum”, “mediano” ou classe D/E que não deseja arcar com esses custos?

A TV analógica deve continuar existindo para atender uma parcela da população que não precisa/quer pagar o custo de uma “TV melhor” (ou com recursos que não lhe são atraentes), ou, como eu acredito, os preços da TV digital devem cair até serem acessíveis a outras parcelas da população.

Comparando com um passado recente, ainda existem rádios AM e FM, cada qual com sua parcela de público. Até o acesso a internet de banda larga caiu de preço ao longo do tempo.

...

O noticiário econômico durante o governo Lula só faz falar que o país está com taxas de crescimento abaixo de seus vizinhos menores, que o Brasil está perdendo o bonde da economia mundial (que aponta crescimento), etc. Por um lado, se a população aumenta - ou se concentra - isto demanda novos empregos de uma forma ou outra (no país ou em determinada região). Por outro lado, vamos questionar esse pensamento do "crescimento contínuo", do "crescer por crescer" ou "acompanhar o crescimento do vizinho". Assim como existe a cultura do Fast-Food (fazer mais e rápido é fazer melhor) existe a cultura do Slow-Food (fazer sem grande pressa e do modo correto) que, entre outros conceitos, prega que trabalhar mais horas não significa maior produtividade. Mesmo se o ser humano fosse uma máquina a cultura do Fast-Food se justificaria até certo ponto: se você deixar sua impressora trabalhando a noite toda a chances dela apresentar algum defeito na manhã seguinte são grandes, pois nem todas as marcas foram projetadas para trabalho intensivo e ininterrupto. Isso também vale para nós, seres humanos.
O pensamento de que a economia deve crescer sempre se mostra uma falácia pois esse pensamento é um dos motores do tão conhecido aquecimento global. O que o governo - nós? – deveria pensar é que o crescimento populacional deve ser distribuído, que a concentração populacional deveria ser desestimulada, entre outros fatores. Crescimento pelo crescimento não aumenta o bolo, pelo contrário, essa soma no final das contas diminui.

...

Andando de moto taxi (moro numa ladeira, próximo ao centro do RJ) o motociclista se gabava de que seu veículo conseguia chegar aos 100Km em 5 segundos. Imediatamente me passou a idéia de que muitos dos acidentes envolvendo motos são fatais, e que quando a marca de 100km em 1 segundo for atingida, as estatísticas de acidentes motobilísticos irá superar os automobilísticos. Infelizmente é do ser humano não se antecipar aos fatos, mas, pragmaticamente se mobilizar frente a fatos concretos. Mesmo que isso signifique perda de vidas humanas.

...

O mesmo burburinho que se fazia sobre a internet nos idos de 2000 se faz hoje sobre a TV Digital. Ninguém sabia como fazer dinheiro coma web, profissionais de mídias semelhantes (multimídia para CD-ROM) foram convocados para fazer conteúdo para web, mídia e dinheiro foram investidos a esmo... Como se faz hoje na TV digital.

A TV digital que se pretende vender hoje é incipiente como a web de 1994. Assim como se dizia que a web era “lenta” em relação ao cinema e a TV, a TV digital tem interatividade muito limitada em relação ao que a web oferece. Poder “clicar” com o controle remoto (!) numa imagem de refrigerante e encomendar a entrega da latinha em sua casa não está muito distante do que a web oferece hoje. Sem falar que a interface do controle remoto está anos-luz atrás do mouse, touchpad, teclado e comando de voz presentes nos softwares atuais.

Até a discussão sobre direitos autorais de conteúdo da TV digital é jurássica em relação à web. O conteúdo da TV digital tem de se adaptar aos novos paradigmas desta mídia, como a música digital já está fazendo.

0 comentários neste post

Postar um comentário

Atenção comentarista!
  • Todos os comentários serão rigidamente moderados;
  • Identifique-se! Comentários anônimos não são recomendados;
  • Comentários com três ou mais links serão removidos;
  • Comentários escritos em miguxês ou excesso de gírias serão removidos;
  • Comentários escritos com predominância de maiúsculas serão removidos;
  • Por favor, prove que você é coerente, educado e bem informado: conheça o restante do site, saiba quem somos, sobre o que, para quem e como escrevemos antes de comentar futilidades;
  • Respeite as opiniões dos autores e dos outros comentaristas. Seja breve e sem ofensas;
  • Escreva comentários relevantes e que contribuam de alguma forma para o bem da humanidade;
  • Não seja um inútil social. Lembre-se que o mundo não gira ao seu redor.