2 de abril de 2007

Reflexões

O caderno Info Etc do jornal O Globo (05/02/2007) já apresenta a matéria "Dá pra viver sem o Google?" mostrando opções aos serviços do gigante da web. É o mesmo tipo de unanimidade fajuta que se criou em torno da IBM, da Microsoft e agora passa se formar em torno dos rapazes da "web 2.0". Ninguém lembra mais de como os computadores eram caros antes de alguém lançar o PC desktop; de repente a facilidade de se executar tarefas com múltiplas opções (via assistentes) parece coisa "que sempre existiu"; as inovações na interface e serviços de web duma hora pra outra se tornaram sinônimo de monopólio.Bill Gates faz muito bem em se aposentar em 2008 e se dedicar a filantropia. Além de ajudar quem vai reconhecer o fato, ainda pode deduzir no imposto de renda.
...

Depois que colocaram chip no tênis chego a uma conclusão mais ou menos clara: a próxima vítima será a web. Assim como a indústria chegou a um ponto onde produz produtos que não satisfazem mais nossas necessidades básicas de vida (o tênis que mencionei) a web em breve será um amontoado de conteúdo de entretenimento tão vazio quanto a atual TV aberta.

O futuro caminha a passos largos, para o melhor e o pior.
...

Tanto se fala sobre usabilidade, experiência do usuário, navegabilidade, estudo de interfaces, novas tecnologias... lendo o livro de Felipe memória "Design para a Internet", vejo um exemplo de como crimes inafiançáveis contra o design e o bom gosto são cometidos todos os dias, em nome dos "números de visitantes únicos". O layout de uma das páginas do site BBB, da Globo.com foi modificada para que o usuário pudesse localizar mais facilmente os contemplados no "paredão" do BBB. Dane-se o design, a estética e anos de estudo; o layout foi refeito, as fotos dos BBB foram ampliadas destruindo todo um layout esteticamente planejado, dentro das melhores regras de equilíbrio, simetria e arquitetura de informação.

Olhando aquele case fico pensando: será que vale a pena estudar tanto design se no final o que conta é o número de cliques obtidos? Se o critério é esse, melhor começar o site com uma página vazia e ir colocando apenas o que dá retorno, logo de cara.
...

Porque o AOL não deu certo no Brasil? Olavo Setúbal, do Itaú, em entrevista mais ou menos recente na imprensa escrita deu a deixa, ao comentar a chegada de concorrentes ao mercado bancário Brasileiro (o banco Santander); não basta abrir uma filial e captar clientes, tem que conhecer o mercado local. Foi isso que faltou ao AOL, a GE e tantas multinacionais que investiram dinheiro em solo nacional e não obtiveram resultados esperados. Se tivessem feito fusões ou aquisições locais talvez a AOL ainda estivesse no Brasil atuando com "cara local", mesmo sem o nome AOL estampado na web. Você pode criticar a qualidade do atendimento nacional em relação ao AOL mas o custo benefício é compatível com o que o usuário brasileiro quer pagar.
...

Se você olhar a política atual do ensino em relação à sociedade vai se deparar com situações circulares, mas que de tão estampadas em nossas caras acabamos por não perceber. A aprovação automática de alunos dentro de um grau (1º ou 2º) tem por objetivo reduzir o custo da repetência junto ao estado. Desta forma cada vez menos pessoas terão ascendência social via educação, o que vai gerar mais manchetes de cidadãos bem-criados e educados mortos à luz do dia. Mortos por pessoas que são "um custo elevado" para o estado, que por sua vez...
...

Existe uma tendência ao endeusamento de uma atividade quando ela se insere de modo efetivo em nosso cotidiano ou quando é privilégio de poucos. Esse oito ou oitenta leva a distorções como querer fazer do webdesign curso superior (como se design fosse algo separado do webdesign) ou colocar chips de computador em vestuário ou bens de consumo (o iPod que se conecta ao seu tênis ou automóvel). Normalmente mudo de canal quando comentaristas de futebol começam a tratar o jogo como uma tese de doutorado; faço o mesmo com qualquer modismo ligado a web onde o interesse final passe ao longo da sociedade que a usa. Ou ao longo do bom-senso.

0 comentários neste post

Postar um comentário

Atenção comentarista!
  • Todos os comentários serão rigidamente moderados;
  • Identifique-se! Comentários anônimos não são recomendados;
  • Comentários com três ou mais links serão removidos;
  • Comentários escritos em miguxês ou excesso de gírias serão removidos;
  • Comentários escritos com predominância de maiúsculas serão removidos;
  • Por favor, prove que você é coerente, educado e bem informado: conheça o restante do site, saiba quem somos, sobre o que, para quem e como escrevemos antes de comentar futilidades;
  • Respeite as opiniões dos autores e dos outros comentaristas. Seja breve e sem ofensas;
  • Escreva comentários relevantes e que contribuam de alguma forma para o bem da humanidade;
  • Não seja um inútil social. Lembre-se que o mundo não gira ao seu redor.