7 de dezembro de 2006

Indústria chama independentes de contrabandistas

Uma pesquisa publicada em vários sites de notícias de renome e patrocinada por uma associação patronal denominada Abinee – Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (com esse nome, deveria ser constituída por profissionais mais sérios ) informa que aumentaram em 1,2% as vendas de computadores sem marca, ou seja, montados por técnicos, pequenos integradores e montadoras independentes (não associadas à Abinee). Eles constituíram 46,8% das vendas no terceiro trimestre de 2006.

Até aqui tudo bem; a notícia pode ser até boa! O problema é a forma como ela é apresentada. Pra começar, o título é:

"Computadores piratas voltam a crescer no Brasil no 3º trimestre”

Caros senhores da Abinee: o que são computadores piratas? Conheço softwares, cigarros, tênis e até remédios piratas, mas computadores piratas?

Tem mais, no meio do texto temos a seguinte frase:

“A participação dos computadores clones, PCs montados sem PPB (Processo Produtivo Básico) e que geralmente usam componentes importados de forma irregular…” 

Clones de quê ou de quem? Tem alguém clonando computadores de marca por aí?

De onde tiraram esse tal de PPB? Parece sigla de partido patronal besta!

O pior de tudo é dizer claramente que a maioria dos técnicos, pequenos integradores e montadores são contrabandistas, piratas e irregulares. Ou seja, só os grandes associados da Abinee são honestos e trabalham corretamente, o resto é marginal

Como me sentí ofendido e não tenho “rabo preso”, vou dar apelidos aos bois e me sinto no direito de ofender também:

Os tais micros da “Negativo“, um dos mais fartamente vendidos nos grandes magazines com suas configurações ultrapassadas e com peças chinesas de qualidade inferior não seriam na verdade clones dos micros montados até hoje nas pequenas lojas de informática já a muitos anos? Agora temos uma tal de “PC da Amazônia” que é um clone da já clone “Negativo”.

Recentemente uma famosa e antiga fabricante semi-falida de aparelhos de som e TVs de segunda linha, aquela que “Começou Comprando Errado” também começou a clonar PCs com peças “Made in China“.

Outras GIGANTES, conhecidas antes pelos seus micros de alta qualidade, alta performance e altos preços como “Déu“, “Tautreco” e a “ex-big-blue” nunca investiram tanto em PCs de baixo custo e baixa qualidade, clones dos vendidos pelos “contrabandistas” para os populares informaticamente excluídos do Brasil!

Vai me dizer que essas empresas, quase todas instaladas na zona franca de Manaus, onde os impostos são generosamente desonerados, contribuem tanto assim para a riqueza dos cofres do governo? Será que eles nunca fizeram um “contrabandozinho” ou uma “sonegadazinha”? E ainda queram baixar mais os impostos pra baratear os seus produtos e incentivar as vendas das porcarias que saem de seus PPARPCSM (Processos de Produção Altamente Robotizados Pagos Com Salário Mínimo). Porque não baixam seus lucros que são em grande parte contrabandeados para o exterior?

Cadê os incentivos do governo para os pequenos? Para que os pequenos integradores, pequenos lojistas e ténicos autônomos não precisem sonegar impostos aos famigerados e cofres públicos.

Cá entre nós, chamar o setor que mais contrata e sustenta os pequenos técnicos, vendedores, montadores e importadores corretamente estabelecidos de contrabandistas, piratas e irregulares é o fim da picada! Pior ainda é ver importantes veículos de comunicação divulgarem essas idéias. Bom, pensando bem, quem paga as propagandas nestes veículos…

Isso valeria um bom processo judicial… O que estou falando!? Justiça para pequenos!? Bah!

Querem as referências? Aproveitem e comentem as notícias. Lá e aqui!

1 comentários neste post

O post é antigo(2006) mas permanece bastante atual, o principal motivo que vejo para noticias como estas,que ainda continuam sendo reproduzidas , enquadrando todos os independentes como piratas, é que lojas de pequeno porte,que montam seus pcs, não contribuem para as vultuosas campanhas politicas, não tem nenhum senador ou deputado fazendo lobby no congresso,com o bolso cheio do dinheiro suado das empresas e dos trabalhadores, as industrias do nosso pais são extorquidas por politicos inescrupulosos que acumulam patrimônios bilionários em pouco tempo de mandato.
Tramita lá na câmara, um projeto que vai abrir linhas de financiamento para lan-houses modernizarem seus computadores e legalizar o software instalado, mas a primeira condição para receber,é que tem que ser comprados computadores fabricados por industria nacional da zona franca de manaus,hoje nestas condições temos a "negativo",a kennex(que a negativo comprou),a cce e a intelbrás. Os donos de lan-houses consultados a respeito declararam que o projeto é inútil desperdicio de dinheiro do bndes e a grande maioria não vai aderir, pois uma grande parcela de usuários de lan-house,vai a lan-house porque tem uma pc carroça em casa(fabricado pelas mesmas empresas), que não roda os programas e jogos que ele gostaria de jogar, e o acesso a internet de banda larga vem diminuindo muito,devido a concorrência das empresas, com os acessos wi-fi(estilo baixada digital) via rádio,adsl e 3g, e impressora podem ser compradas a 100reais ou leva de brinde ao comprar um pc bomba como estes produzidos na zona franca.

Postar um comentário

Atenção comentarista!
  • Todos os comentários serão rigidamente moderados;
  • Identifique-se! Comentários anônimos não são recomendados;
  • Comentários com três ou mais links serão removidos;
  • Comentários escritos em miguxês ou excesso de gírias serão removidos;
  • Comentários escritos com predominância de maiúsculas serão removidos;
  • Por favor, prove que você é coerente, educado e bem informado: conheça o restante do site, saiba quem somos, sobre o que, para quem e como escrevemos antes de comentar futilidades;
  • Respeite as opiniões dos autores e dos outros comentaristas. Seja breve e sem ofensas;
  • Escreva comentários relevantes e que contribuam de alguma forma para o bem da humanidade;
  • Não seja um inútil social. Lembre-se que o mundo não gira ao seu redor.